Como preparar os animais para o Semiconfinamento e obter ótimos resultados
O Semiconfinamento exige estruturas e manejos diferenciados com a finalidade de proporcionar aos animais um máximo desempenho e consequentemente uma boa produtividade e lucratividade.
Como preparar os animais para o Semiconfinamento e obter ótimos resultados

O Semiconfinamento exige estruturas e manejos diferenciados com a finalidade de proporcionar aos animais um máximo desempenho e consequentemente uma boa produtividade e lucratividade.

Antes de entrarem no período produtivo propriamente dito, os animais devem receber o que chamamos de “Preparo dos Animais” que tem o objetivo de proporcionar bom desempenho técnico e econômico do semiconfinamento. Um bom preparo consiste nas seguintes práticas: manejo sanitário preventivo, manejo nutricional “adaptativo”, a marcação, a apartação e pesagem dos animais.

Um dos manejos diferenciados é o manejo sanitário indicado aos animais antes de “sua entrada” nos piquetes, visando prevenir o “aparecimento” de doenças durante o processo produtivo.

O manejo sanitário consiste na vermifugação dos animais, vacinações, tratamento preventivo e curativo dos ectoparasitas (bernes, moscas e carrapatos). Recomenda-se também a aplicação de suplementos vitamínicos e minerais injetáveis.

Quanto ao manejo nutricional adaptativo, os animais recém-chegados à propriedade devem passar por um período de adaptação quanto as novas dietas que serão submetidos, ao manejo nutricional e também aos pastos.

 

Antes de iniciar o período produtivo propriamente dito, deve-se passar por um período de adaptação às dietas durante 10 dias consumindo volumosos: no novo pasto (verde) ou base de silagem ou feno e uma dieta de adaptação contendo concentrados (grãos), principalmente se a dieta tiver grãos e ureia em sua composição.

Outras etapas de preparo dos animais para o semiconfinamento consistem na apartação dos lotes por peso, idade e conformação, marcação e pesagem dos animais.

Fazendo o preparo corretamente com os manejos sanitário e nutricional, certamente os animais terão um ótimo desempenho no seu semiconfinamento.

Autor: 

Guilherme Augusto Vieira[1]



[1] Médico Veterinário, Doutor em História das Ciências, Farmácia na Fazenda/Semiconfinamento, Consultor do Giro do Boi – Canal Rural – guilherme@farmacianafazenda.com.br