Luto: Zootecnista Luciano Beijo morre vítima de incêndio no Pantanal
Luciano Beijo era o responsável pela nutrição do rebanho para o Projeto 1.000 Touros, um dos principais do País na venda de reprodutores
Luto: Zootecnista Luciano Beijo morre vítima de incêndio no Pantanal

O zootecnista Luciano da Silva Beijo, de 36 anos, morreu na madrugada de hoje (9/9) no município pantaneiro de Cáceres, MT, depois de ter quase 100% de seu corpo queimado ao tentar ajudar a debelar um incêndio na Fazenda Ressaca, que pertence a Pedro Grendene, dono a marca Nelore Grendene. Luciano era funcionário do grupo. O acidente ocorreu na tarde de domingo (6/9). O profissional foi socorrido, levado ainda com vida ao Hospital Regional de Cáceres, mas não suportou a extensão dos ferimentos.

De acordo com Herica do Prado Pantz, coordenadora técnica de pecuária da fazenda, Luciano se deslocou junto a um grupo de funcionários para tentar debelar um incêndio que se alastrava fazenda a dentro a partir das margens da rodovia BR-070, próximo à Serra do Facão, em um ponto distante cerca de 30 km da cidade. “No momento em que o vento virou, fumaça e chamas vieram na direção do grupo, que foi recuando. Luciano, no entanto, se desorientou junto a uma touceira sem enxergar e respirar direito, até que as chamas o atingiram“, conta.

O zootecnista trabalhava há 11 anos como funcionário da fazenda e era responsável pela nutrição do rebanho Nelore Grendene (perto de 28 mi bovinos entre animais PO e comercial). “Ele era muito dedicado e foi de fundamental importância para viabilização do Projeto 1.000 Touros, que surgiu com a meta de comercializar esse volume de animais por ano e que hoje já entrega 1,5 mil touros com nossa genética”, diz Herica. “Ele cuidava de toda a parte nutricional. Da cria à entrega do animal ao comprador.”

Nascido em Pontes e Lacerda (MT), Luciano residia na Fazenda Ressaca com a mulher e dois filhos. Herica informou que o grupo “dará toda a assistência necessária e trabalhará para manter o padrão de vida e conforto da família”. A tragédia de Luciano comoveu a pecuária mato-grossense e tomou conta das redes sociais. Notas de pesar foram emitidas por entidades como a Federação de Agricultura e Pecuária do MT (Famato) e Associação dos Criadores de MT (Acrimat). O corpo de Luciano foi sepultado na tarde desta quarta-feira no Cemiterio Park dos Ipes, em Caceres. Os incêndios no Pantanal já queimaram, neste ano, cerca de 2 milhões de hectares do bioma Pantanal.

Fonte: Portal DBO

  • Data
    Os desafios dos 5 maiores produtores de touros do Brasil

    Anualmente, a revista AG publica o ranking dos maiores produtores e vendedores de touros do País. No ano de 2019 os 5 primeiros lugares de touros zebuínos ficaram por com fazendas produtoras de Nelore.

    Grendene (1°), Agropecuária Jacarezinho [...]

    4
  • Data
    Boi China já é vendido a R$ 257 por arroba, diz Scot Consultoria

    O preço se refere ao valor bruto e à vista. De acordo com a consultoria, em São Paulo, a diferença está em R$ 7 entre o boi comum e o voltado à exportação, ou seja, o boi China. Dessa forma, a arroba das boiadas comuns segue estab [...]

    49