Nova rodada de alta põe arroba paulista acima de R$ 250
Onda de valorizações reflete a enorme escassez de animais prontos para abate e o ritmo acelerado das exportações de carne bovina
Nova rodada de alta põe arroba paulista acima de R$ 250

Novas rodadas de reajustes – sempre para cima – foram registradas em algumas importantes praças pecuárias, a começar pela região paulista, onde o valor máximo do boi gordo ultrapassou a marca de R$ 250/@, chegando a R$ 251/@ prazo, conforme apurou a IHS Markit. No Mato Grosso do Sul, o dia também foi de valorizações, com transações na casa de R$ 242/@, à vista, nas praças de Dourados e Campo Grande, segundo dados da mesma consultoria (veja a lista completa dos valores da arroba em cada uma das regiões pecuárias no final desta página).

A falta de gado para abate continua motivando a forte pressão altista nas cotações, avalia a IHS Markit. Além disso, a subida da arroba têm suporte nos bons resultados das exportações de carne bovina. Segundo relatório preliminar divulgado pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), os embarques nos primeiros 8 dias úteis de setembro obtiveram média diária de 8,2 mil toneladas, crescimento de 24,6% em relação ao mesmo período em 2019.

Neste contexto, ressalta a IHS, para conseguir comprar bons lotes de boiadas e preencher as escalas de abate, as indústrias oferecem valores acima das máximas anteriores.

Há também, de acordo com a consultoria, frigoríficos que enfrentam atualmente grande dificuldade para se adaptar ao movimento especulativo do mercado bovino, e são prejudicados pelo enfraquecimento nas vendas de carne bovina no mercado atacadista brasileiro.

“Essas indústrias limitam o fluxo de aquisições e tentam trabalhar com os preços estáveis”, observa a IHS. No entanto, muitas vezes, os frigoríficos não estão tendo êxito nessa estratégia de retenção dos preços da arroba, devido à grande disputa no mercado pelas boiadas disponíveis para venda.

Giro pelas praças

No dia de hoje, houve registro de ajustes positivos entre as praças do Centro-Sul e também ao Norte do País. No Paraná, lotes em volumes mais significativos de gado foram negociados acima das máximas anteriores, segundo informa a IHS.

Em São Paulo, como mencionado no primeiro parágrafo, em meio a forte restrição de oferta e escalas encurtadas, que atendem ainda esta semana, a arroba registrou novas altas.

No Mato Grosso do Sul, apesar da tentativa de alguns frigoríficos de pagar valores abaixo das máxima vigentes, os poucos lotes efetivados foram feitos a preços mais altos nesta terça-feira

Em Minas Gerais, diante da baixa disponibilidade de animais, as indústrias tiveram de elevar os valores oferecidos na tentativa de comprar a matéria prima.

No Tocantins, o preço da vaca gorda subiu e o valor do macho ficou estável.

Na Bahia, a cotação do boi subiu para R$ 254/@, ultrapassando São Paulo como maior valor negociado no País. O preço da vaca também subiu hoje, atingindo R$ 247/@.

Fonte: Portal DBO

  • Data
    Boi China já é vendido a R$ 257 por arroba, diz Scot Consultoria

    O preço se refere ao valor bruto e à vista. De acordo com a consultoria, em São Paulo, a diferença está em R$ 7 entre o boi comum e o voltado à exportação, ou seja, o boi China. Dessa forma, a arroba das boiadas comuns segue estab [...]

    43
  • Data
    Leite subiu 47% com pandemia

    Segundo os Indicadores do mercado do leite, boletim semanal elaborado pelo Centro de Inteligência do Leite da Embrapa Gado de Leite, o preço do leite UHT se manteve estável na última semana no atacado paulista, com média de R$ 3,5 [...]

    52