Você sabe a diferença entre Sal Mineral e Sal Proteinado?
Guilherme Augusto Vieira¹
Você sabe a diferença entre Sal Mineral e Sal Proteinado?

Estreio aqui no espaço erural a convite da Coordenação do Portal, na qual agradeço a oportunidade de divulgar nosso trabalho e abordar assuntos relativos a produção e sanidade animal, tudo isso com o intuito de promover o crescimento e aperfeiçoamento da produção pecuária. 

Neste primeiro artigo vou abordar a diferença entre Sal Mineral x Sal Proteinado, tendo como objetivo informar a diferença entre eles e apontar a composição de ambos. Muitos produtores confundem o que é um e o que é outro, não sabendo quando usá-los e na maioria das vezes compram os produtos e usam de maneira inadequada.

 Primeiramente vamos falar sobre Sal Mineral. 

Sal ou Suplemento Mineral é uma combinação industrial (ou mistura industrial) de Sal Comum + Minerais (micro e macroelementos).





Os minerais são Cálcio, Fósforo, Iodo, Ferro, Manganês, Mn, Selênio, Cobalto, Cobre, dentre outros. 

Os Minerais são importantes nutrientes para a saúde e manutenção dos animais e a mistura mineral deve ser fornecida diariamente a todas as categorias animais, durante todo o período do ano, não devendo “falhar” nenhum dia. Lembrando comprar produtos de origem idônea e registrados no Ministério da Agricultura e Pecuária.

As deficiências destes nutrientes podem acarretar várias doenças e distúrbios nos animais como: perda de peso, atrasos reprodutivos, retenção de placenta, raquitismo dentre outros. 

Geralmente a maioria das misturas minerais tem terminação Fós, indicando o teor de fósforo na mistura (20, 40,60, 90, 120,160), pois este é o principal limitante na mistura e também devido a sua deficiência nas pastagens brasileiras entre outros aspectos. 

E o que é Sal Proteinado? 

Sal Proteinado é um suplemento mineral enriquecido com fontes de energia (milho/sorgo), mais fontes de proteínas que podem ser verdadeiras (farelo de soja, farelo de algodão, caroço de algodão) e/ou NNP (ureia) acrescidos de aditivos. 

O Sal Proteinado também é denominado de Misturas Múltiplas. Também são chamados de Suplementos Proteinados. 




O principal objetivo do “proteinado” é fornecer nitrogênio solúvel ao rúmen para o crescimento das bactérias celulolíticas, aumentando a digestibilidade da fibra e o aporte de energia para o animal, melhorando a eficiência produtiva.

O sal proteinado foi desenvolvido originalmente com a finalidade de suplementar a deficiência proteica nas pastagens. Mas os estudos provaram que neste período não só ocorre deficiência proteica e sim de fósforo e outros minerais, sem excluir a ocorrência direta ou indireta de déficit energético, daí o desenvolvimento de fórmulas com composição de fontes de energia, proteicas, fontes de minerais e aditivos. 

O uso de suplementação neste período seco tornou-se uma alternativa eficaz principalmente quanto ao uso de sal proteinado ou mistura múltipla no sentido de manter e/ou promover ganho de peso nos animais diminuindo o impacto da seca nas produções pecuária.

Atualmente há no mercado diversos tipos de Suplementos Proteinados: 

• Sal Ureado (Sal mineral + ureia, utilizado no período seco) 

• Proteinado Seca (alto teor de proteína utilizado no período seco) 

• Proteinado energético (utilizado no período chuvoso) 

• Proteinado de Transição (utilizado entre o período chuvoso e seco). 

Muitos produtores nos escrevem se ao fornecer sal proteinado pode dar sal mineral ou vice-versa? Eis a resposta: ao fornecer proteinado aos animais , o Senhor já está fornecendo a quantidade de minerais necessários que está presente no suplemento proteico. Agora se está fornecendo sal mineral e deseja fornecer proteinado, será necessário cortar o suprimento de sal mineral e fornecer somente o proteinado. 

Agora que você já sabe a diferença entre sal mineral e sal proteinado, você sabia que pode produzir ótimos proteinados aí na sua fazenda utilizando o farelo de algodão , caroço de algodão ou outras fontes de matérias-primas? 

Se tiver dúvidas quanto aos proteinados adquira o nosso Manual Rações & Proteinados para Semiconfinamento, disponível em www.semiconfinamento.com.br

No próximo artigo abordaremos a diferença entre rações e proteinados, e quando usá-los.

Até a próxima oportunidade!


--

¹Guilherme Augusto Vieira é Médico Veterinário, Doutor em História das Ciências, trabalha com produção animal há mais de 30 anos, autor do livro Como montar uma farmácia na fazenda e dos Manuais Semiconfinamento e Confinamento. 

Contato: guilherme@farmacianafazenda.com.br ou www.semiconfinamento.com.br